terça-feira, 3 de maio de 2011

Maldição Divina - 12º Capitulo

PASSADO PRESENTE

Logan acorda, levanta e olha para os lados. O que vê não é nada comum. Ele está dentro de uma sala. Na verdade, uma cela. Mas não é uma prisão de concreto. Ele está no interior de uma arvore, e suas raízes formam as barras da cela. Do lado de dentro, um tronco de arvore deitado, como um banco. O chão, de terra. Além de uma pequena arvore em um canto da sala, próxima ao banco. Esta arvore tem o tronco comprido, com folhas somente no topo. No tronco, apenas dois galhos. O estranho é que ela parece que foi colocada ali recentemente. Uma ou outra raiz presa no chão, mas raízes pequenas. Do lado de fora, apenas mato. Arvores gigantescas, com folhas enormes. Chegando perto das grades, ele nota varias construções. Um tanto quanto incomuns. A maioria é como a sua cela, nas entranhas das arvores. Algumas feitas de barro. Uma verdadeira cidade no meio das arvores, literalmente. Ele coloca as mãos na grade, e começa a refletir. Como chegou ali? A ultima coisa que se lembra, é de ver a Tati cheia de baratas, Moglli correndo na direção dela, e varias baratas subindo pelo seu corpo. Bom, estava em uma ilha na Grécia. Tinha muitas arvores, mas não como essas. Uma sensação estranha nas mãos. Parece que está conectado com a arvore. Ele sente a arvore, sente a cela, as grades, como se estivesse ligado a elas. Logan olha para suas mãos segurando a grade. Não são suas mãos, são dois galhos. Seu corpo? Apenas um tronco. Do lado de fora, ele nota algo que não havia visto. Dezenas de pequenas arvores andando. Na verdade, não andam porque não tem pernas. É como se estivessem flutuando a uma distancia mínima do chão. Mas dezenas delas para lá e para cá. Ele olha para a pequena arvore no canto da sala. É como se estivesse olhando para baixo, examinando seu corpo, seus galhos. De repente, algo vem em sua mente.
- Tati?
- Logan?
- Droga, o que está acontecendo aqui?
- É você mesmo Logan?
- Sou eu sim Tati. Não sei como viemos parar aqui, nessas arvores.
- Eu sei.
A voz veio do tronco deitado. Ele rola para o lado, dobra, e fica de pé.
- Me chamo Fernando. Pelo menos era assim que me chamavam no meu tempo.
- Como assim, no seu tempo?
- Se não estou enganado, estamos no período Devoniano da era Paleozóica. A mais de trezentos milhões de anos da nossa época. De que ano vocês vieram?
- Dois mil e onze. Então, estamos no passado?
- Sim. Como já disse, me chamo Fernando, e venho de mil novecentos e oitenta e quatro.
- Como viemos parar aqui?
- Eles têm algum tipo de maquina do tempo. Pelo que entendi, eles não conseguem mandar o corpo, somente trocar a alma com de outra pessoa da época desejada. Então, eles fazem a troca. O ser fica um tempo inconsciente, e eles prendem aqui.
- Como você sabe de tudo isso? Até a época que estamos você sabe.
- Sou um historiador. Se minhas contas não estiverem erradas, estou aqui a mais de dois mil dias. Quase seis anos pela nossa contagem. E vocês, o que faziam?
- Não sei se você vai querer saber.
- Está me deixando curioso!
- Muito bem. Eu sou um vampiro, e ela uma caçadora de vampiros.
- Sei. Conte-me a verdade.
- Essa é a verdade. Pense em tudo que aconteceu e está acontecendo. Não posso ser realmente um vampiro?
- É, vendo por esse lado.
- Sabe se existe alguma forma de sairmos daqui?
- Já tentei de tudo pra sair desta cela. Não faço ideia de como conseguiríamos.
- Não. Isso acho que é mais fácil. Tu sabe como podemos voltar pros nossos corpos?
- Talvez usando a maquina. Mas não faço ideia de onde ela esteja nem se conseguiríamos opera-la.
- O que mais você sabe sobre eles?
- Não são rápidos, nem nós. Mas eles têm armas.
- Certo. Eles têm uma vantagem. Fernando, você fica aqui. Tati, você vem comigo.
- Onde você acha que vai?
- Sair daqui, onde mais?
Logan vai até a grade e procura algo. Olhando mais para a lateral do lado de fora, ele nota um guarda parado, com uma flor fechada presa em um de seus galhos. Logan coloca um braço pra fora. O guarda vai até ele. Logan fica olhando para o guarda, que olha fixamente para Logan. Tati se sente extremamente atraída por Logan, e faria tudo que ele quisesse.
- Amigo, você pode abrir isso aqui pra gente? Isso ai é uma arma? Pode emprestar pra minha amiga?
O guarda coloca o galho sem a flor na parede da cela, e as raízes se movimentam, abrindo uma passagem. Logan sai, e Tati em seguida. O guarda entrega a flor para Tati. A flor prende em um dos galhos-braços de Tati tornando-se parte dela.
- Uma ultima coisa meu amigo. Onde fica a tal maquina que pode nos levar de volta pros nossos corpos? E por que você não fica ali dentro, esperando agente voltar?
O guarda aponta para uma arvore-casa, a maior delas, entra na cela, e as raízes voltam à posição que mantem a cela fechada. Os dois vão na direção da construção apontada pelo guarda.
- Como você fez isso Logan?
- Parece que meus poderes físicos não funcionam aqui. Mas os mentais sim.
- E o que você fez exatamente?
- Posso deixar as pessoas extremamente atraídas pela minha presença, pela minha luz.
- Hum. Não é melhor agente sair do meio da rua?
- Parece que tem algo acontecendo. Estão tão agitados que nem notaram que fugimos. Eles andando pra cá e pra lá, desesperados, com cara de medo, mas nessa lerdeza. Seria cômico se não estivéssemos na mesma velocidade.
Os dois chegam perto da construção. Um barulho vem da direção dela. Dezenas dos seres armados vão na direção da arvore. Uma centopeia vinte vezes maior que eles sai de dentro da arvore quebrando o casco dela. A centopeia gigante está com uma boa parte do corpo coberta por uma gosma verde escuro. As pequenas arvores começam a atirar nela. Da flor em seus braços, sai um liquido rosa, que parece queimar quando encosta na centopeia. Ela vai furiosa na direção de quem atira nela. Alguns desses seres notaram que Logan e Tati escaparam, e vão na direção deles apontando suas armas. Eles atiram, e acertam Logan. Tati revida, atirando em alguns deles. Mais e mais deles começam a chegar. Eles vão se juntando em volta da centopeia, e outro grupo em volta de Logan e Tati. Muito ferido e quase sem esperanças, Logan resolve usar sua ultima carta, Majestade, o nível mais alto da disciplina presença. Todas as pequenas arvores param e olham para Logan, que apaga e cai no chão. Os seres ainda estão meio confusos. A centopeia voa na direção de Logan e pega ele com a boca. Os pequenos seres atiram na centopeia. Furiosa, ela balança Logan, e o joga longe, pra fora da cidade. Tati atira na centopeia. Alguns seres voltam a si e atiram em Tati. Ela revida, mas são muitos. Aos poucos, ela para de sentir seus braços, seu corpo, sua cabeça. Tudo vai ficando escuro aos poucos. Enquanto a luz vai diminuindo, as dores vão passando. Será que é o fim? Sim, ela tem certeza que é o fim!

5 comentários:

  1. Vo comentar só pra num perder o costume!! =P haha... Árvores celas foi uma idéia MARA!!!

    ResponderExcluir
  2. E o Moglli??? Ai ai ai... #curto rs

    ResponderExcluir
  3. eu to aqui... hahahahaha caralho já tem majestade? belo mestre...

    vamos ver o que o futuro me reserva, espero ter um chapeu de palha.

    ResponderExcluir
  4. choqueiiii

    shauhsua
    "período Devoniano da era Paleozóica. "

    to adorandooo *-*

    ResponderExcluir